Introdução à Subcultura Gótica

3.11.15

Há algum tempo atrás, comecei a publicar alguns textos sobre Subculturas e acabei apagando. Porém, estava sentindo falta de compartilhar as minhas pesquisas e como não queria criar mais um blog para isto, resolvi reabrir esse espaço aqui no blog e continuar. Este texto já foi publicado antes, mas como o considero um ponto inicial, optei por disponibilizá-lo novamente.  
Dentre todas as subculturas que existem, a que mais chama a minha atenção e se aproxima do meu "lifestyle" é a Subcultura Gótica. Eu não me considero gótica, porque evidentemente, bebo de várias fontes para compor o meu estilo e jeito de viver, no entanto, é inegável as inúmeras referências e identificações que tenho com esta subcultura. Por este motivo, resolvi escolhê-la como ponto de partida para este projeto. Para começar, quem tem interesse em saber de maneira mais aprofundada. sugiro a leitura do site Gothic Station, que tem muitas informações interessantes sobre o assunto. Faz alguns anos que conheci esse site, e é baseando-me nele que desenvolvo o texto de hoje. Exploremos, então, a subcultura gótica! 

Entende-se como subcultura um o conjunto de particularidades culturais de um grupo que se distancia do modo de vida dominante, sem se desprender dele. Este grupo geralmente é minoritário e possui um conjunto de símbolos e identificação que compartilham, formando uma identidade única. Por vezes, esta subcultura pode ser definida como oposta à cultura dominante, mas nem sempre é uma oposição radical. Vale lembrar que o termo "cultura" não se aplica somente à "cultura letrada". Um exemplo de subcultura bem evidente na nossa sociedade, é a Subcultura Gótica, que consiste numa subcultura mundial.

Dos anos 70 aos 80, o rótulo "gótico" foi usado inicialmente com ironia para definir um estilo que engloba música, visual e comportamento, surgido na Inglaterra. O nome pegou e é usado até hoje para denominar essa subcultura que, ao contrário do que pode parecer pelo nome, não tem nada a ver com os bárbaros góticos que invadiram o Império Romano no século IV. Ao longo dos anos, as palavras goth e gothic ganharam significados diferentes. Os sentidos que a palavra enquanto subcultura carrega são: sombrio, misterioso, vitoriano, fantasmagórico, onírico, macabro, etc. Isto não quer dizer que tudo o que seja sombrio seja considerado gótico, mas geralmente, tudo o que é considerado gótico tem esse toque sombrio, por exemplo.

Levando em conta os estilos musicais, podemos citar os movimentos Krautrock, o Glam, o Proto-Punk e o Beat, como influências. (Eu, particularmente, recomendo muito a leitura do livro "Mate-me, Por Favor" que conta a história do punk, mas dá para ter uma noção sobre as raízes e artistas que influenciaram a subcultura gótica). Entre os artistas estão Bowie, Velvet Underground ♥, Lou Reed, The Doors ♥, Iggy Pop & The Stooges, Brian Eno, Cabaret Voltaire, Patty Smith, Throbbing Gristle, Suicide, Leonard Cohen, entre outros. Vale lembrar que o gótico consiste numa subcultura completa, não somente um estilo musical.

Em questão de literatura, existem diversos autores consagrados pelos góticos, que podem muito bem representar a essência do que eles sentem e vivem, como por exemplo Horace Walpole, William Beckford, Mary Shelley, William Blake, Keats, Byron, Edgar Allan Poe, poetas como Baudelaire, T.S. Elliot, Rimbaud, Oscar Wilde e os filósofos Sartre e Camus. Ainda nesse contexto essencial, a subcultura também bebe da fonte do Expressionismo. A estética dos filmes, bem como da pintura Expressionista, tem sido bastante usada pelos góticos desde os anos oitenta. São exemplos de filmes: O Gabinete do Dr. Caligari, Metropolis, Nosferatu e Drácula, dentre muitos outros. Também são fontes de inspiração o cinema de terror "B".
Desmistificando algumas questões de senso comum, que geralmente ocorrem sobre os góticos: não é obrigatório só vestir-se de preto, embora a importância esteja no efeito dramático e o vestuário faça parte de uma identidade geral. Não é obrigatório gostar de ir em cemitérios, embora esteja presente na subcultura a fugacidade da vida, o carpe diem, a visão realista da morte como consequência. Gothic Metal não é uma evolução do Gótico dos anos oitenta... Góticos também não são deprimidos, nem suicidas, nem melancólicos, embora possam existir góticos com essas características, só que mais atrelada ao fato de serem humanos e não só porque são góticos. Góticos podem ter a religião que bem entender e existem góticos de qualquer cor de pele, não é somente para pessoas "pálidas, e brancas". Usar de qualquer um dessas sentenças de forma generalizada, é totalmente senso comum, afinal, somos pessoas, e podemos e temos gostos, comportamentos, e vidas totalmente diferentes.

Em questão de música, existem inúmeras bandas góticas, e eu poderia passar um bom tempo aqui escrevendo sobre elas, mas vou citar apenas algumas: Bauhaus, Siouxsie and The Banshees, Cocteau Twins, The Cure, Joy Division, The Damned, X-Mal Deutschland, The Smiths, Sisters of Mercy, The Mission, Alien Sex Fiend, Nick Cave, Opera Multi Steel, The Fields Of The Nephillin, Depeche Mode, Black Tape For a Blue Girl, Nosferatu, Inkubus Sukkubus, Faith and The Muse, Sopor Aeternus, The Birthday Massacre, e tantas outras que teremos a oportunidade de saber mais sobre elas em outra publicação.

Finalizando, falar sobre subcultura, principalmente a gótica, sempre é algo polêmico, pois cada um tem a sua interpretação, e os "extremistas" sempre acabam por não aceitar um fato ou outro, como por exemplo, a questão do vestuário. "Ah, você não se veste o tempo todo de preto, então, você não é gótico". Como ficou claro (espero), a subcultura é algo que vai além da estética, embora haja uma identidade visual de grupo. Porém, acredito que a questão estética está mais relacionada à "atmosfera geral" da subcultura, ou seja, a pessoa passa a gostar desse visual mais dark por associação, não por obrigação ou regras. Mas bem, este é um assunto que ainda daria muito o que conversar, fica então, para outra oportunidade.

Esse texto é bem resumido mesmo, mas espero que tenham gostado e compreendido um pouco melhor o que significa essa subcultura. Dentro dela, costumo me enquadrar mais pelo meu gosto em questão de música, literatura e o apreço pelo sombrio que carrego desde a infância, embora eu não seja tão desenvolta em questão de vestuário - pelo fato de meus "outros gostos" também influenciarem bastante em meu estilo. Mas falarei sobre isto depois.
Gostaram da proposta do projeto? Deixem seus comentários. 

You Might Also Like

8 comentários

  1. Menina, que texto completinho. Você conseguiu passar muita informação necessária em um post só.
    Como eu disse algumas vezes, eu também não me considero gótica, mas me identifico muito com subcultura, principalmente a questão musical (apesar de ouvir mais metal) e a literatura. Visualmente eu até pego uma coisinha ou outra como referência, mas nada que me faça parecer totalmente gótica.
    E uma coisa é certa, nunca ninguém está satisfeito quando se fala de um a subcultura. Sempre vai ter um ser divino, o tal do extremista, pra dar pitaco e dizer que tá errado, que não é assim e que você está equivocada. Não ligue. Filtre o bom e descarte o ruim.
    Você fez um bom post. Utilidade pública.
    Beijão.

    http://creepybeauty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Filtre o bom e descarte o ruim." - Levando pra vida, Su! E siiim, o post ficou bem superficial mesmo, fiz um resumão, mas pretendo ir aprofundando um ponto ou outro em textos futuros, pelo menos a ideia "principal" consegui passar. Muito obrigada por ler e por elogiar o texto! <3

      Quanto a questão do vestuário também sou assim. Eu me identifico com vários aspectos de outras subculturas também, por isso não me denomino gótica. Prefiro não me limitar! ^^
      Beijos linda.

      Excluir
  2. JAQUE, ME ABRAÇA <3 Eu adorei ler tudo isso. Eu odeio quando alguém me pergunta se góticos são depressivos. Argh! Eu já comecei um projeto voltado pra subcultura gótica e tudo mais mas acabei desistindo por que rola muito mimimi de caras que se acham "os donos da verdade". Continue fazendo posts assim *-*

    stay-creepy.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ABRAÇANDO UM MONTÃO! <333 E poxa, não se preocupe com isso não, Van, se gosta dos seus textos, vá em frente e faça. Não desista nunca de fazer o que quer por causa da opinião dos outros. Faça como a Suelen falou ali em cima, "filtre o bom e descarte o ruim!". Quero ver teu projeto em ação! Beijos

      Excluir
  3. Que bom que voltou com essa "sessão" pra cá Jaque!
    Senti falta quando você apagou e parou o projeto. ^^
    Mais uma vez repito que esse texto ficou muito bom! Super bem explicadinho!
    Já quero os próximos!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou indecisa mesmo! Huahua!
      Mas dessa vez vou em frente!
      Fico feliz que tenha gostado, Monezita!
      Beijão

      Excluir
  4. O gótico não é uma das subculturas que eu me identifico, mas eu adoro ler esse tipo de texto. Eu adoro conhecer um pouco mais sobre as outras subculturas. :3
    Outra coisa que eu aaamo é que toda vez que eu passo por aqui o blog está com um layout ou algúm detalhe diferente <3

    beijos
    Relíquias da Lara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você vai gostar dos outros textos dessa série, Lara! ^^
      E muito obrigada. <3 Espero aquietar logo essa inconstância com o layout!
      Beijão!

      Excluir

Muito grata pelo contato, seja sempre bem vindo! :3
You can contact me in english too! Be welcome! ♥

Cabelos Coloridos

Instagram Pessoal

Outfits no Instagram!