Cyberstorm, Matthew Mather

12.10.15

"Eu me senti um pistoleiro do Velho Oeste em uma cidade sem lei e congelada."
Fiquei sabendo sobre o lançamento de Cyberstorm num evento da Editora Aleph em Março deste ano. Desde então, aguardava pacientemente porque sabia que seria um livro que gostaria de ler, mesmo sabendo superficialmente a história. O isolamento de uma cidade, a interrupção de seu abastecimento de comida, de sua lojística, e um ataque cibernético foi o suficiente para me fazer ter certeza de que eu gostaria daquele livro antes mesmo de começá-lo. E foi por este motivo que o passei na frente das demais leituras e o finalizei em menos de três dias. Hoje venho contar um pouco sobre essa história que me impressionou.

Sobre a História:
Em meio a uma forte tensão política internacional, os Estados Unidos sofrem um grande ataque cibernético: todos os meios de comunicação começam a falhar. Ao mesmo tempo, uma forte tempestade de neve assola a cidade de Nova York, e uma possível epidemia de gripe aviária parece se aproximar. Presos na cidade e quase sem contato com o resto do mundo, os moradores de repente se veem imersos em um cenário verdadeiramente apocalíptico. Enquanto rumores e especulações correm sobre a origem desses ataques, Mike Mitchell se concentra em questões que para ele parecem mais urgentes. A crise o atingiu em um momento crítico de sua vida, complicando seus já confusos problemas pessoais e financeiros. Agora, sua prioridade é manter a família unida e viva no crescente caos que se que se forma a sua volta.
Comentários:
Nunca me senti tão apavorada ao ler uma história desde que li Ensaio Sobre a Cegueira há muitos anos. Mas este livro me apavorou muito mais e de maneira muito real, porque todas as situações descritas nele são realmente possíveis, dado o nível de dependência crescente que nossa sociedade moderna tem com relação à internet e o mundo digital. Hoje, praticamente tudo é interligado a internet e controlado de maneira virtual. Mesmo aqui no Brasil, já conseguimos perceber o quanto nossos sistemas dependem disso, e justamente sistemas que nos mantém humanos - civilizados. Eu fiquei imaginando uma terceira guerra mundial em âmbito digital, no qual não seriam necessárias armas, uma vez que um ataque aos sistemas básicos que sustentam uma nação já causariam danos inimagináveis. No livro, as pessoas morrendo de fome, descobriam o pior de si, doenças sendo alastradas, a falta de água, sujeira para todos os lados, é assustador! A população morria aos poucos, enquanto imaginavam quem era que poderia estar causando aquilo à elas, uma vez que um ataque cibernético não era fácil de ser rastreado.

Muitas questões interessantíssimas são levantadas neste livro como a dependência que as cidades tem do meio rural; como nós, enquanto seres humanos nos modificamos totalmente com a falta dos recursos mais básicos à manutenção humana, como procuramos sempre por um culpado... Também nos leva a questionar o que é a real privacidade, com os personagens julgando a postura do governo e ao mesmo tempo, tendo que se deparar com questões semelhantes entre eles mesmos, que estavam sendo atacados por outros grupos. É uma pressão psicológica gigante cheia de paradoxos. A história vai ficando macabra com o passar do tempo, surgindo até canibalismo com o passar dos dias. É sério, eu não dormia a noite pensando nessa história, pensando "e se tudo o que tanto dependemos cotidianamente falhasse, o que eu faria? O que faríamos?" Esse é o grande poder que a ficção científica tem, o de nos alertar. Eu espero sinceramente que este livro sirva como um alerta para nossa sociedade, para nos prevenirmos dessas situações aterrorizantes. Eu tentei encontrar o vídeo que foi reproduzido no evento da Aleph, no qual o autor, que já trabalhou com sistemas de segurança, fala sobre essas possibilidades, mas infelizmente não o encontrei. /:

Cyberstorm é um livro que nos faz pensar sobre o que nos torna humanos e civilizados. 
Separei um trecho em especial que achei interessante e válido para refletirmos.
"- Os carros. Você sabia que os primeiros carros eram elétricos? Em 1910, havia mais carros movidos a eletricidade nas ruas de Nova York do que carros movidos a gasolina, e todo mundo, naquela época, acreditava que os carros elétricos fossem o futuro... o que era algo muito mais sensato do que motores malucos acionados com explosões controladas de produtos químicos voláteis e tóxicos. Mas Rockefeller patrocinou a Ford para garantir que os carros movidos a gasolina, e não os elétricos, fossem o meio de transporte do futuro, para que ele tivesse um lugar para vender seu petróleo. (...) E puff, vieram o caos do século 20, o Oriente Médio, todas as guerras, a dependência do mundo no petróleo, e uma boa parcela do aquecimento global. Talvez até o que está acontecendo agora. Tudo nasceu do desejo por luz.
Eu não sei se a história é verídica, mas é interessante perceber essa avaliação da sociedade dependente do petróleo, mostrando mais uma vez, sua face assombrosa, causando guerras e mais guerras em prol de seus interesses pessoais. Devastando nações. [viajando] Confesso que nessa parte me lembrei d'O Fim da Eternidade. O que aconteceria se um dos Eternos tivessem adentrado nessa realidade e evitado que Rockefeller investisse na Ford?! As guerras teriam sido evitadas?! [/viajando]. Sendo verídica ou não, toda essa construção de cenário me deixou profundamente triste e assustada ao perceber do que o ser humano é capaz em relação aos seus instintos, e depois com relação a sua ambição. Os seres humanos me assombram.*

Por fim, são inúmeras e inúmeras reflexões que podem ser extraídas desse livro excelente - eu ainda poderia citar a condição feminina, com relação à personagem Lauren que queria muito continuar sua carreira, mas não o pode por conta de sua gravidez - e muitas outras coisas, mas vou deixar por conta de vocês. Espero ter acendido uma fagulhinha de vontade de ler este livro, porque ele é realmente muito pertinente e mesmo sendo uma ficção, nos impressiona de verdade. Leiam!
Finalizando, recebemos uma carta do autor e nesta carta fiquei sabendo que Cyberstorm irá virar filme pela 20th Century Fox! (De acordo com o Filmow, só em 2018!) Já fico desde já no aguardo, e espero que eles façam uma excelente adaptação. Eu, particularmente, acho que o ator Dean Norris (Hank de Breaking Bad) seria perfeito para o papel de Chuck, um dos melhores e mais importantes personagens da história! O personagem que sempre surpreende! Hahaha!

*Referência à Menina que Roubava Livros.

You Might Also Like

12 comentários

  1. Lendo a resenha me lembrei um pouco da história de Metro 2033 (que eu adoro). Quero ler ^^

    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, nunca ouvi falar dessa história, vou até procurar pra saber!
      Obrigada pela visita, linda. <3

      Excluir
    2. Ainda sofro esperando a continuação de Metro 2033 chegar aqui no Brasil ;_;
      Me pareceu que Cyberstorm é um início de apocalipse, já Metro 2033 seria a história sobre os sobreviventes do apocalipse, a sociedade já está instalada no caos.
      E se você gostar de jogos, também tem nessa mídia.

      Excluir
    3. Eu dei uma pesquisada, quando a Clayci falou e vi que tinha jogos também. Cyberstorm é o início mesmo, eles estão tendo uma vida normal quando puff... acaba energia, começa a faltar água, acaba comida, super mercados começam a ser saqueados... E assim por diante. É uma loucura, dá medo de verdade! /:

      Excluir
  2. Me conquistou só pela capa ... me faz flutuar no meio de Spocks e Doutores Mcckoy .... com certeza vai entrar na minha lista de leitura ...

    http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por ter lido, e pela visita, Jéssica! ^^

      Excluir
  3. Primeiramente comento a capa linda, adorei a mistura de azul e preto.
    Então, você falou sobre a acender a fagulha da vontade ler... E conseguiu! Seus comentários me fizeram arrepiar.
    "Às vezes, as piores tempestades não vêm da natureza." essa frase... UAU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é tão sombria quanto a história! Recomendo demais.
      Esse livro é realmente excelente, dá medo de verdade!
      Beijos Ray!

      Excluir
  4. Nossa.. o livro parece ser daquele tipo que te aterroriza e ao mesmo tempo te instiga a ler cada vez mais pra saber como termina. Achei bem interessante o roteiro.. com certeza vou querer ler! ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Definiu precisamente como o livro é Monezita! Nós ficamos querendo saber o que eles vão fazer, como vão lidar com aquilo e a coisa só piora! D:

      Vale a pena ler, sim!

      Excluir
  5. Tinha uma curiosidade sobre esse livro, mas não sabia nada além da sinopse. Depois desse review fiquei instigada a ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que vai gostar! <3

      Excluir

Muito grata pelo contato, seja sempre bem vindo! :3
You can contact me in english too! Be welcome! ♥

Cabelos Coloridos

Instagram Pessoal

Outfits no Instagram!