Pages

25.5.15

A Parisiense, Ines de La Fressange

Hoje vou comentar um pouquinho sobre o livro A Parisiense, de Ines de la Fressange. O livro consiste num guia de estilo da autora, que é uma personalidade renomada no mundo da moda, e eu confesso que eu não fazia ideia de quem era antes de ler! rs Ganhei de presente, mas de modo geral, o livro não me agradou muito, pois esperava muito mais. Os pontos positivos é que tem algumas dicas legais, e o material com que é feito valoriza o livro, mas em outros aspectos, na minha humilde opinião, se torna muito cansativo, sendo um material muito voltado para a elite e cheio de regrinhas chatas com relação à moda. A impressão que tive é de que a autora só leva com bons olhos aquilo que ela gosta e usa, e quem faz diferente tem mau gosto. Não curto premissas assim. Fotografei algumas partes do livro para vocês terem ideia de como ele é ilustrado:
Do meu ponto de vista, é um livro extremamente elitista, que quer passar alguns valores / dicas para a alta classe que nós, do povão, já estamos cansadas de saber e utilizar. É claro que tem algumas dicas muito boas, como a questão da maquiagem, a organização, o apontamento dos itens de vestuário e algumas outras coisinhas. Porém, se eu fosse percentuar a parte do livro que realmente gostei, seria uns 20%, porque mais da metade do livro é a autora indicando lugares em Paris para comer, fazer compras, essas coisas, e sinceramente, por ser um livro tão comentado, esperava que fosse ter dicas mais generalizadas e não enfocadas em um só lugar de difícil acesso. Isso sem contar que a autora dita muitas regrinhas chatas de moda, e eu defendo que, a moda é criada por todos, e não é só porque você tem renome, e diz que usar marrom com bege é bonito, que eu vou ter que ir correndo usar. É claro que todo mundo tem a sua opinião, e se veste da maneira que se sente bem, mas a partir do momento que você julga "não faça isso porque é over", "não faça aquilo porque fica feio", parece que coloca um cabresto nas pessoas. É claro que algumas combinações não funcionam, mas deixem as pessoas ousarem pra ver se dá certo ou não. 

Nós já temos essa visão de moda restrita, temos medo de ousar por conta desses julgamentos padronistas, e eu sinceramente, vi um livro que veio para reforçar essa ideia mainstream. É claro que também tem uns toques interessantes, mostrando que em algumas partes, a autora sabe dar conselhos interessantes, mas de modo geral, achei um reforço de toda ditadura que já vemos e conhecemos bem por aí. Sou bem mais à favor de convencer as pessoas a se vestirem como gosta, e aprenderem com os próprios escorregões, do que forçá-las a adotar um estilo seguido de atitudes que estão bem longes do que elas realmente são, ou querem ser.

O que eu não gostei no livro foi isto. Mas por outro lado, gostei dele ter me levado à estas reflexões, aprendendo um pouco mais do convencional. Sem contar que as ilustrações também são legalzinhas. Espero um dia viajar para Paris, não para ser uma "parisiense", mas para ser eu mesma, indo apenas conhecer.

Lembrando, esta é apenas a minha opinião.
Sugiro que leia e forme sua própria.
Até mais.

20 comentários :

  1. eu vi o livro na livraria aqui, e fiquei curiosa, mas só pelo titulo já torci o nariz imaginando que ele fosse meio ditador e elitista mesmo. acho chato quando alguém valoriza uma cultura e sai desprezando as outras, ou qualificando as outras como melhores, como no caso essa autora claramente adora Paris, e acha que todo mundo tem que ser igual aos franceses. quero dizer, mesmo que não seja exatamente isso, o titulo passa essa impressão. E por que não "Vista-se como quiser" ou "seja você mesmo". Concordo contigo nessa questão. E, realmente, muita gente deixa de ser ela mesma por medo de julgamentos (eu mesma já deixei de usar um monte de coisa por medo de parecer ridícula :/)... não sei se tu já ouviu falar, ou viu em algum lugar mesmo, no japão (provavelmente só em Tóquio), há um grupo (não chega a ser toda a sociedade japonesa, pq gente preconceituosa há em todo lugar) que se veste como quer, e muitos aceitam essa prática, justamente pela questão da identidade. procura por "moda japonesa" no google, e tu vai ver tudo quanto é tipo de combinações.
    bjs :***************

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A moda japonesa é uma das mais variadas e legais que eu já vi. Sou apaixonada por aquele estilo dark mori. Mesmo existindo pessoas preconceituosas em todos os lugares, acredito que o Japão ainda é o pais do futuro pq nunca vi tanta liberdade "artística" que o povo tem por lá. Obrigada pela visita.

      Excluir
  2. Então Jaque...eu li aquele livro de uma francesa, "As mulheres francesas não engordam", e acho que passei por uma parecida contigo. Tinha várias dicas interessantes, mas precisa adaptar a nosso contexto. E na continuação, ela dava dicas de estilo. De novo, ficou meio ditatorial, estranho a quem não é francesa. Aí paro e penso: tem livros ensinando a comer como italiana, vestir-se como francesa, ter um bumbum de brasileira...vai entender!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, né Vivs, como se não fosse bom o suficiente você ser quem você é mesmo, o seu bem estar e a maneira como você se sente. Pontos bem mais importantes do que ostentar estilo e comportamento para pessoas que, por vezes, nem sequer conhecemos...

      Excluir
  3. Eu já ouço falar desse livro há bastante tempo, mas nunca me interessei em ler exatamente pelos pontos que tu ressaltou: é elitista, cheio de regrinhas inúteis e no fim das contas é só mais um manual de pode/não pode e eu odeio isso. Uma pena já que é um livro tão bonito e bem feito - o design dele é muito bonito mesmo.
    Ah, adorei as mudanças no layout ^^
    Beijo, Bruna S. ♥
    Chanel Fake Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Bru! E sim, ele é bem bonito esteticamente, mas em questão de conteúdo, como disse, fica só nos 20% mesmo. Beijos!

      Excluir
  4. Cara, os maiores icones da moda atual são pessoas que ousaram sair do comum. Pessoas que usaram a moda como forma de passar um conceito, e não como um padrão que define quem é melhor ou pior pelo que veste.
    Vide Lady Gaga.
    Gostei muito da sua crítica, porque normalmente quando leio sobre livros em blogs os posts são de pessoas que só estão ali para falar bem do livro. Seja porque são fãs daquele tema ou daquele autor, seja porque estão recebendo para falar do livro em seus blogs, mas eu raramente vejo uma crítica realmente sincera e eu gostaria de te parabenizar por isso, de verdade.
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro a Lady Gaga. Sempre piro nos figurinos dela. E bom, fico muito feliz com seu elogio, até porque também prezo o mesmo. Também sinto falta dessa sinceridade desvinculada à ganhos que está cada vez mais rara nos blogs atuais. Vamos fazer a diferença, então! Beijos <3

      Excluir
  5. Sou louca por esse livro. Mas um fato é que esse tipo de leitura definitivamente não agrada adeptos da moda alternativa. Eu acho que algumas orientações são bem válidas, apesar da maioria ser bem ridícula... A impressão que tive quando dei uma folheada no livro na Saraiva uma vez foi que tem pouco conteúdo, não sei. Muitas páginas e pouca informação.

    Não vou falar mais porque ainda não li. De qualquer forma, tenho interesse no livro apesar dos pesares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se dá pra generalizar dessa forma, mas fato é: cada um pode ler e ter sua própria opinião, como sempre digo. Obrigada pela visita! :3

      Excluir
  6. Como os ícones podem se tornar dispensáveis em nossas vidas não. Contemplo sua opinião. Acho que escrever sobre moda deveria ser algo nada mais que próprio, não ditar, não mandar, não regrar nada.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, escrever sobre moda, observar, falar de si mesmo sabe, sem precisar ditar o que serve ou não. Acaba limitando demais.

      Excluir
  7. Poxa.. que pena.. o livro parece ser até bem bonito, mas depois do que você disse, ficou horroroso!
    Detesto essa coisa de manual do pode ou não pode ser/vestir/fazer... É muito blá, blá, blá de gente que tem medo de ousar, na minha opinião.
    Bom saber que é assim que não gasto meu rico dinheirinho com ele... rs
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, ele é um livro bonito, em bom material, mas o conteúdo extremamente ditatorial tirou toda a graça. /:

      Excluir
  8. Nossa, que pena! Estava querendo ler esse livro mas ainda bem que sua resenha já me desestimulou de comprá-lo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Anna, como sei que você também gosta de minimalismo, a autora fala uma coisinha ou outra sobre, focando em roupas claro, mas tudo apontando mais pro ponto de vista do que ela gosta ou não gosta. /:

      Excluir
  9. Ele pareci ser interessante me lembrou o "Sò Singular" pelo estilo da diagramação que dá pra ver nas fotos. Se ver ele por aqui na minha cidade irei comprar pra ler e formar minha opinião fiquei curiosa rs
    beijos
    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Nunca li nada sobre moda assim, mas parece ter dicas ótimas 'o'
    Não sei se compraria, mas se um dia achar alguém que tenha com certeza vou pedir emprestado haha

    http://sweetpoisonteen.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais ou menos, mais ou menos. xD Mas sugiro pegar emprestado antes, sim, assim você compra se gostar mesmo. Eu acabei trocando o meu por um tarot! Hahaha

      Excluir

Muito grata pelo contato, espero sempre ajudar! :3
You can contact me in english too! Be welcome! ♥

© 4SPHYXI4 - 2017. Todos os direitos reservados.
Criado por: JAQUELINE CAMPOS .
Tecnologia do Blogger .
imagem-logo
The Alien